Home Destaque Paraná Pesquisas: Maioria da sociedade aprova legalização dos jogos
< Voltar

Paraná Pesquisas: Maioria da sociedade aprova legalização dos jogos

19/08/2017

Compartilhe

Bingos: 45,6% a favor e 43,4% contra

Cassinos: 45,7% a favor e 45,5% contra

Uma sondagem nacional inédita da Paraná Pesquisas, encomendada pela Coluna, revela que a maioria da sociedade – com pequena diferença – quer a legalização dos jogos com a volta de bingos e cassinos. Apesar do leve viés de aprovação, os números mostram que a sociedade está dividida: 45,6% são a favor e 43,4% são contra sobre a volta dos bingos; e em relação aos cassinos há um empate técnico: 45,7% a favor e 45,5% contra. As mulheres têm mais resistência. Só 35,2% delas são a favor dos bingos e 34,1% pelos cassinos. Ao contrário dos homens, cuja maioria aprova a volta dos jogos: 57,7% querem a volta dos cassinos e 56,8% são a favor das casas de bingos.

Fator social

De acordo com Murilo Hidalgo, presidente da Paraná, há um fator social e religioso contra a legalização dos jogos; e a maioria dos que aprovam são de classe média.

Fator social 2

Segundo Hidalgo, os de baixa renda acham que os pobres vão perder dinheiro e só ricos vão ganhar. E a ação contrária da Igreja católica e das evangélicas influencia na decisão.

Indecisos

Sobre a volta ou não dos bingos, 5,3% se mostraram indiferentes e 5,8% não sabem ou não opinaram; em relação aos cassinos, os índices foram 5,1% e 3,7% respectivamente.

Faixa etária

Há um dado curioso. Em 4 das 5 categorias de faixa etária – entre 16 e mais de 59 anos – a maioria é a favor dos jogos. Mas os acima de 60 anos são contra.

Perfil

A pesquisa foi online com 2.802 pessoas entre os dias 15 e 17 de agosto, com margem de erro de 2 pontos percentuais. Foram 1.345 homens (48%) e 1.457 mulheres (52%).

Radiografia

Foram registradas 1.205 entrevistas na região Sudeste, 757 no Nordeste, 422 na macrorregião Norte-Centro Oeste e 418 pessoas que responderam são da região Sul. (Coluna Esplanada – Leandro Mazzini)

Análise: Resistência aos jogos está entre os que estão fora do mercado de trabalho e os que têm escolaridade mais baixa

Sobre a volta dos bingos, a maior taxa de reprovação é dos que têm ensino fundamental 

O apoio à legalização dos jogos no Brasil – a volta dos bingos e cassinos – acompanha par e passo o nível econômico e de escolaridade dos brasileiros, revela a sondagem nacional da Paraná Pesquisas para a Coluna Esplanada. A resistência está entre os que estão fora do mercado de trabalho e com escolaridade mais baixa. Sobre a volta dos bingos, a maior taxa de reprovação é dos que têm ensino fundamental (49,5% são contra e 39,7% a favor). Os números são de 39,9% e 48,5% (ensino médio) e 40,5% e 49,2% (superior), respectivamente. Aprovam os bingos 47,6% dos que têm ocupação, e 41,5% são contra; Entre os não-ocupados, o cenário se inverte: 48% (contra) e 40,7% (aprovam).  Foram ouvidos 2.802 brasileiros entre 15 e 17 de agosto.

Resistência

Os índices são mais discrepantes quando a pergunta é sobre a volta dos cassinos. Entre os que têm ensino fundamental: 39,1% a favor e 53,5% contra.

Subindo

Já entre os mais escolarizados: 47,7% dos que têm ensino médio são a favor e 42,1% contra; números saltam para 51,2% de aprovação no nível superior (40,3% são contra).

Do mercado

No tema Cassinos, 50,2% dos não-ativos no mercado resistem, e 42,4% são a favor; e entre a população ativa ouvida, 46,7% aprovam os bingos e 43,9% reprovam.

Faixa etária

Grande parte dos entrevistados tem entre 25 e 59 anos, tem ensino médio – 2.214 pessoas (79%) – e com ensino superior foram ouvidos 588 (21%). (Coluna Esplanada – Leandro Mazzini)

Análise: Resultado da pesquisa nacional é uma importante ferramenta no processo

De acordo com Murilo Hidalgo, presidente da Paraná Pesquisas, há um fator social e religioso contra a legalização dos jogos

O resultado desta pesquisa será uma poderosa ferramenta no processo de legalização dos jogos no Brasil, principalmente pelo fato de deputados e senadores se pautarem pelo desejo da opinião pública.

Apesar do resultado de 45,6% a favor e 43,4% contra sobre a volta dos bingos e o empate técnico de 45,7% a favor e 45,5% contra com relação aos cassinos sabemos que os percentuais poderiam ser melhores.

Distorção: mais mulheres do que homens

A sondagem nacional da Paraná Pesquisas realizada para a Coluna Esplanada ouviu 112 mulheres (1.457 – 52%) a mais do que os homens (1.345 – 48%).

Apesar de ser um universo pequeno, gerou uma pequena distorção e influenciou muito no resultado pelo fato das mulheres serem contra os bingos (53,3%) e cassinos (57,7%).

Além de terem entrevistado mais mulheres que homens, também foram ouvidas mais pessoas das classes ‘B’ e ‘C’ que as ‘A’ e ‘B’. Nota-se que as mulheres e as pessoas das classes baixas são muito contra a legalização.

Influência da novela

O comportamento negativo das mulheres frente aos jogos de azar pode ser uma influência direta da abordagem da personagem Silvana, uma mulher viciada em jogo na novela ‘A Força do Querer’ no horário nobre da TV Globo, que é interpretada pela atriz Lilia Cabral.

Influência das igrejas

Segundo o jornalista Leandro Mazzini, o maior obstáculo está no fator social, já que todas as igrejas são contra a legalização e estão influenciando os fiéis. “Segundo o presidente da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, o fator igreja está pesando muito embora não tenha mensurado. E fala de todas as igrejas”, comentou Mazzini. (BNL – Magnho José)